Public Release: 

Remoção do ovário pode aumentar risco de doença renal crônica

Mayo Clinic

ROCHESTER, Minnesota, EUA -- Mulheres na pré-menopausa que passaram por uma cirurgia para remoção do ovário enfrentam um maior risco de desenvolver a doença renal crônica, segundo o estudo da Mayo Clinic publicado no Clinical Journal of the American Society of Nephrology.

"Este é o primeiro estudo que revela uma importante relação entre a deficiência de estrogênio em mulheres jovens e lesões nos rins. Mulheres que passaram por uma cirurgia para remoção do ovário apresentam maiores riscos de desenvolver doença renal crônica no longo prazo", relata Walter Rocca, M.D., neurologia e epidemiologista da Mayo Clinic, autor sênior do estudo.

Pesquisas anteriores realizadas com animais revelaram que o hormônio feminino estrogênio possui um efeito protetor nos rins. Essas descobertas levaram os pesquisadores da Mayo Clinic a se perguntar se a remoção cirúrgica dos ovários também afetaria a função dos rins em mulheres na pré-menopausa.

A doença renal crônica, também chamada de insuficiência renal crônica, ocorre quando os rins estão lesionados e são incapazes de filtrar o sangue como deveriam. Quando os rins de um indivíduo estão tão lesionados a ponto de não funcionar, as opções de tratamento são limitadas à diálise e ao transplante renal. Estima-se que aproximadamente 30 milhões de adultos nos EUA sofram de doença renal crônica, sendo essa a nona maior causa de morte nos EUA, de acordo com os Centers for Disease Control and Prevention (Centros de Controle e Prevenção de Doenças).

De acordo com o Dr. Rocca, esses resultados reiteram a importância de discutirmos sobre o possível aumento do risco de doença renal crônica com as mulheres que estejam considerando a remoção dos ovários.

"A remoção preventiva dos ovários não é recomendada para mulheres que não apresentam risco genético de câncer de mama ou de ovários, já que ela leva a um maior risco de desenvolvimento de doenças, incluindo a doença renal crônica, e um risco mais elevado de morte", informou o Dr. Rocca.

Usando o sistema de relacionamento de dados (record linkage) do Rochester Epidemiology Project (Projeto de Epidemiologia de Rochester), o estudo comparou 1.653 mulheres na pré-menopausa que viviam em Olmsted County, Minnesota, EUA e que tiveram os ovários removidos cirurgicamente antes de completar 50 anos ao mesmo número de mulheres de idades semelhantes e que não tiveram os ovários removidos. Essas mulheres foram acompanhadas 14 anos em média.

Os pesquisadores da Mayo Clinic descobriram que as mulheres que passaram por uma cirurgia para remoção dos ovários apresentavam um risco 6,6% maior de desenvolver doença renal crônica quando comparadas às mulheres que não tiveram os ovários removidos. O risco de insuficiência renal foi ainda maior em mulheres com menos de 46 anos. As mulheres que passaram por uma cirurgia para remoção dos ovários antes de completarem 46 anos de idade apresentaram um risco 7,5% maior de desenvolver doença renal crônica.

###

Esta pesquisa foi patrocinada pelo Rochester Epidemiology Project (Projeto de Epidemiologia Rochester), Mayo Clinic e pelos National Institutes of Health (Institutos Nacionais de Saúde).

Sobre a Mayo Clinic

A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a prática clínica, a formação e a pesquisa, que presta cuidados especializados e abrangentes a todos que buscam a cura. Saiba mais sobre a Mayo Clinic. Visite a página da Mayo Clinic News Network.

Contato de imprensa:

Sharon Theimer, Relações públicas da Mayo Clinic, 507-284 5005, newsbureau@mayo.edu

Disclaimer: AAAS and EurekAlert! are not responsible for the accuracy of news releases posted to EurekAlert! by contributing institutions or for the use of any information through the EurekAlert system.