News Release 

Um estudo descobriu que certas células hepáticas podem ajudar a prevenir a rejeição de órgãos depois de um transplante e outras doenças

Mayo Clinic

ROCHESTER, Minnesota: As células-tronco mesenquimais do tecido adiposo e da medula óssea são amplamente utilizadas em ensaios terapêuticos por suas propriedades anti-inflamatórias, mas uma nova pesquisa da Mayo Clinic descobriu que as células hepáticas podem ser de maior valor.

O estudo, publicado em Liver Transplantation, descobriu que as células-tronco mesenquimais hepáticas têm qualidades imunomoduladoras que as tornam mais eficazes do que as células similares derivadas do tecido adiposo ou gorduroso, e da medula óssea.

"Isto é muito emocionante, dado que muitas provas em curso em todo o mundo usam as células-tronco mesenquimais da medula óssea ou do tecido adiposo" diz o Dr. Timucin Taner, um dos cirurgiões que realiza os transplantes da Mayo Clinic, e o investigador principal e primeiro autor do estudo. "Se as nossas conclusões são validadas, as células-tronco mesenquimais hepáticas seriam uma opção muito melhor para esses tipos de aplicações terapêuticas".

As células poderiam ser valiosas no tratamento de uma ampla gama de doenças e afecções com inflamações subjacentes, como a rejeição do órgão depois de um transplante, a doença inflamatória intestinal e outros distúrbios auto-imunes.

O fígado é um órgão imunologicamente ativo, e os receptores de transplantes de fígado requerem doses muito menores de medicamentos de anti-rejeição do que os pacientes que recebem outros órgãos. O Dr. Taner diz: "Há tempo que nós estamos interessados nesse fenômeno, e que temos estudado o mecanismo das propriedades indutoras de tolerância do fígado em receptores de transplantes". "Nesta investigação, descobrimos que as células-tronco mesenquimais hepáticas, eram muito mais potentes do que as suas homólogas dos outros tecidos, em sua capacidade de controlar as respostas imunológicas, o que pode explicar porque os transplantes de fígado são melhor tolerados".

Isso poderia também explicar o porquê da incidência da rejeição do rim em pacientes que passarão por um transplante de fígado e rim é significativamente inferior aos receptores de transplantes de rim unicamente. Resultados semelhantes foram observados em outros transplantes multiorgânicos que envolvem o fígado, como os transplantes combinados de coração e fígado.

As células-tronco mesenquimais, que são encontradas na maioria dos tecidos do fígado, têm a capacidade de regular a inflamação e os mecanismos da reparação tecidual. Para este estudo, as células-tronco mesenquimais hepáticas foram geradas in vitro de 12 amostras de biopsia de pessoas de diferentes idades e de ambos os sexos.

Em cada fase da experimentação, as células-tronco mesenquimais hepáticas se mostraram superiores às da medula óssea e dos tecidos adiposos, independentemente da idade ou do sexo do doador. O Dr. Taner diz, que serão necessárias maiores Investigações em humanos para testar a superioridade anti-inflamatória das células.

"Agora precisamos ir mais a fundo e procurar entender o porquê e como as células-tronco mesenquimais hepáticas são diferentes das células-tronco mesenquimais de outros tecidos", ele diz.

###

O estudo contou com o apoio do prêmio ao desenvolvimento profissional em transplantes de fígado 2017 da American Association for the Study of Liver Diseases Foundation e da bolsa de investigação em Trasplantes E. Rolland Dickson da Mayo Clinic.

Sobre a Mayo Clinic

A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic para obter outras notícias da Mayo Clinic e para ficar Por Dentro da Mayo Clinic para obter mais informações sobre a Mayo Clinic.

Contato de mídia: Sharon Theimer, Assuntos Públicos da Mayo Clinic, 507-284-5005, e-mail: newsbureau@mayo.edu

Disclaimer: AAAS and EurekAlert! are not responsible for the accuracy of news releases posted to EurekAlert! by contributing institutions or for the use of any information through the EurekAlert system.